Precisamos falar de Miles Bridges

O segundo-anista de Michigan State contrariou as expectativas e retornou para seu segundo ano com os Spartans. O que esperar dele?

East Lansing acordou mais tranquila ao saber que o principal jogador da equipe de Michigan State não se inscreveu no Draft da NBA. Cotado para ser uma escolha de loteria do Draft de 2017, que ocorreu em junho, Bridges não seguiu a regra e desafiou o “one-and-done”. Dono de um físico impressionante, de dunks acachapantes e de um potencial inestimável, o ala tem tudo para ser um dos principais jogadores do College Basketball na próxima temporada.

Michigan State é uma das favoritas ao título da NCAA agora em que estamos na pré-temporada. Não perdeu nenhum grande valor, a não ser Eron Harris e retorna seus calouros de alto potencial como Cassius Winston, Josh Langford e Nick Ward, além de Bridges, claro. O garrafão que sofreu com falta de profundidade no último ano vibra com os retornos dos lesionados Gavin Schilling e Ben Carter. Soma-se a isso outros jogadores de rotação como Tum Tum Nairn, Matt McQuoid e Kenny Goins e você verá um dos melhores times dos Spartans sob o comando de Tom Izzo em anos. Sem esquecer do calouro Jaren Jackson, que deve ser titular desde o primeiro jogo da equipe.

Miles Bridges é o diferenciado, é o craque, é o jogador que levará Michigan State a outro patamar. Não espere aquele que joga para a mídia, espere eficiência, força e, principalmente, qualidade. Se março foi feito mesmo para Tom Izzo, Bridges terá papel crucial para corroborar essa nomeação.